Envelopamento automotivo: veja quais as vantagens e desvantagens

Há alguns anos o envelopamento automotivo ganhou espaço no Brasil. A técnica oferece a possibilidade de personalizar o visual do seu veículo com um custo e tempo menor do que seria necessário para uma pintura completa. Claro, essa é apenas uma das vantagens que o sistema proporciona para quem deseja realizar alterações estéticas nas carrocerias.

Além disso, o sistema permite criar variações, desenhos e mais do que só trocar a cor, apostar em novos detalhes nos carros. É possível também usar o vinil com revestimento fosco ou brilhante, para além de trocar a coloração, apostar em mais brilho ou naquele ar “malvadão” que as pinturas foscas dão aos carros.

Além do aspecto puramente estético, há quem aposte no envelopamento para proteção da pintura. Por isso usam uma cor parecida para revestir o carro que vai lidar melhor com chuva, sol e detritos, especialmente para quem pega muita estrada e sabe como pedras voam lançadas por rodas de outros veículos, geralmente de caminhões.

Envelopamento de carros: o que diz a lei, (des)vantagens e manutenção

Envelopamento também tem lado negativo

Dependendo do trabalho realizado, se houver alteração de 50% da cor original da pintura é preciso alterar a documentação do veículo. Para isso, o proprietário tem que pedir uma autorização ao Detran local que, após aprovada, deve constar no documento do veículo. Só após a autorização é que o serviço pode ser feito. O tempo de duração é outra questão. Se o preço muda, muda também a qualidade do material. Por isso é importante ter referência do local de instalação. Se o material usado for de baixa qualidade, em até dois anos pode ser preciso retirar ou substituir o envelopamento.

Cores como preto e branco têm duração maior do estado do material, a depender da qualidade, pode chegar a 10 anos. Já os revestimentos metálicos tendem a se desgastar antes – em até cinco anos. A limpeza é outra questão que exige cuidados diferentes. Tanto o PPF quanto o envelopamento estético não devem ser limpos com produtos abrasivos, geralmente a indicação é apenas para água e sabão na lavagem do veículo ou produtos específicos que não vão danificar a aplicação realizada

Mudar de ideia também pode custar um pouco mais caro. A remoção leva, geralmente, mais tempo que a aplicação. O processo tem que ser realizado com cuidado e de maneira a retirar a cola junto com a película. Carros que já tenham sido repintados antes da aplicação podem sofrer danos na retirada se o serviço de funilaria não tiver sido realizado com qualidade.

Fonte UOL

Novo código de trânsito: confira o que vai mudar a partir de abril de 2021

A Lei que altera o código de trânsito Brasileiro (CTB) foi sancionada em outubro de 2020, mas passará a valer em abril de 2021. Confira algumas das novas regras: ⤵⠀

1️⃣ Infrações leves e médias, passam a ser punidas apenas com advertência, caso o motorista não seja reincidente na mesma infração nos últimos 12 meses;⠀
2️⃣ A idade mínima para andar na garupa das motos aumenta de 7 para 10 anos;⠀
3️⃣ Veículos somente serão licenciados se comprovarem atendimento às campanhas de recall dos fabricantes;⠀
4️⃣ Obrigatoriedade da cadeirinha para crianças com até 10 anos, que tenham menos de 1,45 m de altura;⠀
5️⃣ Órgãos municipais de trânsito estão autorizados a aplicar a suspensão do direito de dirigir.⠀

Fonte: A Gazeta

Ford chama trabalhadores de volta para produzir peças de reposição, mas operários não vão

SÃO PAULO — A Ford iniciou na segunda-feira a convocação oficial para que os empregados das fábricas que a empresa fechou no país retornem ao trabalho para produzir peças de reposição, segundo os sindicatos que representam os metalúrgicos das unidades.

— A Ford está mandando comunicados, mas a adesão está zero, está tudo parado, ninguém está indo (dar expediente). A fábrica precisou alugar um galpão porque na região de Simões Filho (BA) porque não tinha gente para descarregar mercadorias de 90 caminhoneiros aqui em Camaçari — afirma Julio Bonfim, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari.

Segundo ele, a multinacional não negociou ainda como será o processo de demissão dos seus empregados nem sentou formalmente com os sindicatos para discutir as rescisões e indenizações.

Ford deu ‘tapa na cara’
— Ninguém voltou porque o que a Ford fez foi um tapa na cara, não negociou nada com a gente e pede para a gente retornar ao trabalho? Não dá — afirma Bonfim.

A Ford anunciou na semana passada uma reestruturação que envolve a demissão de cerca de 5.000 funcionários diretos no Brasil e na Argentina.

A maioria dos dispensados está aqui, onde a multinacional vai encerrar a fabricação de veículos. O fornecimento de veículos Ford para o Brasil será abastecido por meio de importação, especialmente da Argentina e do Uruguai.

A empresa mantinha no país uma fábrica de motores e de transmissão em Taubaté (SP) e uma planta montadora em Camaçari (BA), que já interromperam a produção, além de uma unidade da marca Troller em Horizonte (CE), que fecharia no fim do ano.

Perda de 118 mil empregos, diz Dieese
Bonfim e o governador da Bahia, Rui Costa (PT) foram a Brasília nesta terça-feira para visitar as embaixadas de Índia, Coreia do Sul e Japão na busca por oportunidades de investimentos para Camaçari, na tentativa de mitigar as demissões na região.

Segundo estudo do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Econômicos (Dieese), as demissões da Ford no país podem significar uma perda potencial de mais de 118.864 mil postos de trabalho, somando empregos diretos, indiretos e induzidos.

A perda de massa salarial no país é estimada pelo Dieese em R$ 2,5 bilhões ao ano, considerando os empregos diretos e indiretos perdidos. A entidade também projeta uma queda de arrecadação de impostos de R$ 3 bilhões anuais.

Segundo estudo da entidade, a Ford chegou a empregar 21.800 pessoas em 1980. Em 1990, tinha 17.578 trabalhadores. Nove anos depois, 9.153. Atualmente, segundo a entidade, são 6.171 operários empregados, sendo 4.604 mil na unidade de Camaçari (BA), 830 em Taubaté (SP) e 470 em Horizonte (CE).

A montadora está entre as quatro mais contempladas por créditos do BNDES, segundo a entidade. Entre 2002 e 2018, a Ford recebeu crédito de R$ 5,5 bilhões do banco estatal.

Fonte e Foto: Jornal Extra (Assembleia de operários da fábrica da Ford em Taubaté Foto: Edilson Dantas)

Ford anuncia fim da produção de veículos no Brasil e fechamento de fábricas

A Ford acaba de anunciar o encerramento da produção de veículos no Brasil, com o fechamento das fábricas que a montadora mantém em Camaçari (BA), Taubaté (SP) e Horizonte (CE), onde é fabricado o utilitário 4×4 T4, da Troller. ⠀

De acordo com a companhia, as três linhas de produção terão as atividades encerradas durante este ano, “à medida em que a pandemia de Covid-19 amplia a persistente capacidade ociosa da indústria e a redução das vendas, resultando em anos de perdas significativas”.⠀

Ford fecha fábricas e marca o fim de uma história de um século no Brasil |  VOCÊ S/A


A Ford informa que a produção de peças vai continuar mais algum tempo, para garantir estoque de componentes de reposição, enquanto os quatro modelos que eram fabricados aqui – Ka, Ka Sedan, EcoSport e T4 seguirão à venda enquanto durarem os estoques.⠀

📸 Divulgação
Fonte: @UOLCARROS⠀

OS 10 VEÍCULOS MAIS ROUBADOS/FURTADOS DO RIO DE JANEIRO EM 2020

A SUSEP, (superintendência de seguros privados) divulga lista dos 10 veículos mais roubados/furtados da cidade do Rio de Janeiro em 2020.

A grande surpresa dessa lista é a presença do Toyota Corola, figurando em 4º lugar.
Seguindo a lista dos veículos mais roubados/furtados do Rio de Janeiro estão:

1º HYNDAI HB20,
2º RENAULT SANDERO,
3º CHEVROLET ONIX,
4º TOYOTA COROLA,
5º CHEVROLET S10,
6º HONDA CIVIC,
7º FORD KA,
8º HONDA FIT,
9º FORD ECO SPORT
e em 10º VOLKSWAGEM GOL.

Ainda na lista divulga estão também o RENAULT LOGAN em 11º, VOLKSWAGEM VOYAGE em 12º, o TOYOTA ETHIOS em 13º, CHEVROLET COBALT em 14º e o VOLKSWAGEM FOX em 15º.

Vai viajar de carro com o seu cão? Esses 5 itens são indispensáveis na bagagem

Para que sua viagem não tenha percalços e seja prazeirosa para o seu pet, alguns preparos precisam ser feitos

Para muitas pessoas os pets são como membros da nossa própria família e precisam estar em todas as ocasiões especiais. A viagem de fim de ano é uma delas e é muito comum que os cachorros estejam no carro quando uma família vai pegar a estrada. Essa divisão de espaço com o seu cão pode dar certo, no entanto, alguns produtos precisam estar na sua bagagem para garantir a segurança do seu animalzinho.

Os cachorros não estão acostumados a fazer longas viagens de carro, por isso, uma recomendação dos especialistas é para que sejam feitas paradas frequentes na viagem. Pelo menos a cada 3 horas, para que o seu cão possa se exercitar, hidratar e fazer suas necessidades.

Outro cuidado que precisamos ter é com o ar condicionado, que pode incomodar bastante o seu cão. A recomendação é que a temperatura interna do seu carro seja mantida próxima a externa. Assim como os humanos, os animais também tem a sua bagagem e é preciso levar tudo aquilo que eles possam sentir falta durante a viagem.

Além disso, é importante que o seu cachorro esteja com a vacinação em dia antes de viajar. Como também é comum que seu cachorro fique enjoado, evite dar petiscos no carro. Pensando em todos esses cuidados, a Unikar separou 5 itens que são essenciais e precisam estar na bagagem do seu cão.


Confira a lista!

Capa de Protecao Para Banco

Caixa Transporte

Caixa Transporte Vermelha

Cinto de Segurança Chalesco para Cães

Cinto de Segurança Chalesco para Cães

Bebedouro Garrafa Para Cães e Gatos Portátil

Bebedouro Garrafa Para Cães e Gatos Portátil

Sanitário para Cães

Sanitário para Cães Petgreen Furacão Pet

Aviso: A Unikar não comercializa os produtos ou serviços citados. 

Estacionar na ladeira: quais são os cuidados necessários?

Pneus e câmbio merecem atenção especial ao parar na subida

Engatar a marcha ou virar a roda do carro: o que fazer na hora de parar o carro na subida? Veículos mais antigos contavam com sistemas mais simples, portanto era interessante somar algumas maneiras de frear para que o carro não descesse ladeira abaixo. De qualquer forma, existem alguns cuidados importantes para não danificar peças, como pneus, suspensão e câmbio.

Veículos antigos tinham sistemas mais simples e, vez ou outra mais falhos também. Então somar esses “breques” era importante para não ver o carro descer ladeira abaixo.
Mas isso pode danificar peças como freio, pneus e suspensão?

Veículos antigos tinham sistemas mais simples e, vez ou outra mais falhos também. Então somar esses “breques” era importante para não ver o carro descer ladeira abaixo. Mas isso pode danificar peças como freio, pneus e suspensão?

Não há contraindicação em virar a roda na direção do meio-fio. O problema é usá-la como elemento de trava mecânica

Saiba o porque você não deve estacionar o carro na ladeira com a roda  virada. | by Corretora Status Seguros | Medium

A suspensão, mesmo na descida, foi feita para suportar e distribuir o peso do carro uniformemente. Não vai haver desbalanço mesmo que o carro esteja virado. O que acontece é que se o motorista encosta o pneu na guia e o utiliza como calço, ele pode deformar.

Além dos danos na borracha ao longo do tempo, existe ainda a possibilidade de deformar o terminal de direção. Não há perigo de acidente, mas é o bastante para modificar a geometria do sistema.

Marcha ou não? Não há problemas em utilizar essa trava secundária. Mas é bom evitar uma marcha muito alta, que não seguraria o veículo.

É importante ressaltar a sequência para não ter erro: primeiro, use o freio de estacionamento, feito para segurar o veículo e sustentar toda sua carga, Vire a roda na direção da guia. Depois, engate a primeira marcha que é mais reduzida.

Por Redação Autoesporte

Cuidados com o carro durante a primavera

Sabia que seu carro precisa de cuidados específicos durante a troca de estação?
Setembro chegou e junto a ele, a necessidade de intensificar a atenção em algumas particularidades dos veículos para evitar ficar na mão

  1. Lave o carro frequência. Ao lavar por dentro e por fora do carro você mantém poeira e bactérias fora do seu carro. A lavagem também garante que a chuva ácida seja retirada do corpo do carro.
  2. Cobrir o veículo com algum tipo de filme de proteção ajuda na integridade da lataria. Isso garantirá que o carro fique bem protegido contra chuva ácida e qualquer dano que possa vir com a temporada de primavera.
  3. Encerar o veículo além de dar brilho e deixá-lo mais bonito, evita que a sujeira, gorduras e oleosidades em geral, grude na pintura facilitando assim a sua limpeza evitando desgastes e riscos desnecessários durante a próxima limpeza.

.

5 melhores carros para motoristas de App

Pensando em trabalhar como motorista de app ou táxi? Já sabe qual carro escolher para esse serviço? É importante escolher carros que sejam confortáveis, espaçosos e de fácil manutenção!
E não esqueça da Proteção Unikar!

Oferecemos monitoramento em tempo real via app, central de resgate e guincho 24h e muito mais !